Menu

Dieta animal: Como a tecnologia pode contribuir?

Por Fabíola Lino em 13 de agosto de 2020

A modernização chegou na pecuária de corte para ficar. O manejo se modernizou e agora a tecnologia auxilia o pecuarista a entregar corretamente aos animais a dieta balanceada pelo nutricionista. Para atender às demandas nutricionais dos animais, é preciso otimizar o consumo de alimento e evitar desperdício. 

Na produção confinada os animais recebem toda a alimentação no cocho e, por isso, é fundamental estar atento a escolha dos ingredientes, ao armazenamento para manter a integridade destes, a qualidade da mistura e ao manejo de cocho

Neste sentido, Leonam Manoel Gomes França, consultor de vendas da Casale, relata que é comum ouvir pecuaristas duvidarem da eficiência da dieta formulada, mesmo que as falhas estejam na mistura e fornecimento desta. Ou seja, o que foi formulado não é o que está sendo oferecido. Por isso, afirma que é fundamental ter balança na fazenda para medir os ingredientes que serão utilizados e realizar uma mistura correta destes.  

Precisamos criar mecanismos para manter a estabilidade ruminal e isso só acontece se o animal tiver uma dieta equilibrada ao longo do dia. Já existem vários trabalhos que mostram aumento superior a 10% no desempenho animal, em função da qualidade da mistura da dieta, ou seja, a mesma quantidade de ingredientes, dando um melhor desempenho, pelo fato da dieta ser homogênea. É preciso fazer a conta de acordo com cada realidade e ver o quanto isso é expressivo na diária para engordar o animal”, explica.

Dessa forma, é imprescindível que a mistura dos ingredientes seja bem realizada para que os animais recebam no cocho a ração balanceada com o mínimo de variação. A mistura incorreta resulta em segregação de ingredientes (Figura 1) e fará com que o consumo seja desuniforme. Assim, os animais irão ingerir proporções de nutrientes diferentes do planejado.

Foto 1. Mistura não homogênea com separação dos componentes.
Fonte: Arquivo pessoal (Fabíola Lino)
Foto 2. Mistura homogênea
Fonte: Arquivo pessoal (Fabíola Lino)

Vagão misturador

Atualmente, os pecuaristas contam com diversas tecnologias para melhorar a mistura, o fornecimento e o acompanhamento da dieta. 

Dentre as opções, tem-se os vagões misturadores. De acordo com Leonam França, o uso do vagão misturador dotado de uma balança eletrônica contribui para que o animal consuma uma dieta o mais próxima do formulado. No entanto, erros intrínsecos ao manejo ainda podem ocorrer. Mesmo assim, com a automação do trato, é possível mensurar e registrar de forma precisa, o que auxilia na tomada de decisão e no controle de estoque de ingredientes da nutrição. 

Leonam também explica que, para cada dieta e sistema de produção, existe um misturador adequado no mercado, desde a parte interna do vagão, as quais são chamadas de câmara de mistura, até o seu rodado. “É preciso levar em consideração aspectos como: tipo de volumoso a ser utilizado, integridade de partículas, percentual de inclusão de cada ingrediente, densidade e ou textura deste. A Casale equipamentos trabalha com três câmaras de misturas distintas para atender melhor cada realidade de manejo, sendo elas a Totalmix, Vertimix e Rotormix, com variados tamanhos em metros cúbicos (m³) e variados rodados”, acrescenta.

Tecnologias lucrativas

Assim, a tecnologia auxilia o pecuarista a realizar com exatidão e precisão as atividades diárias na fazenda. Utilizar um software de gestão como o iRancho, por exemplo, possibilita o registro do consumo de alimento, desempenhos e os custos

Enquanto isso, a automação do trato permite controlar o fornecimento e garantir a mistura adequada da ração balanceada para os animais. Dessa forma, ambos contribuem para a execução correta do planejamento nutricional e alcance das metas estabelecidas.

Ao ressaltar a importância do software de gestão e o sistema de automação para os pecuaristas, Leonam França explica que é importante utilizar esses mecanismos para mensurar o desempenho e tudo o que se passa no sistema de produção. 

Com um vagão bem dimensionado, balança calibrada, um software de gestão e uma automação alinhada, teremos melhor lucratividade na produção de carne”, conclui.

Enfim, a tecnologia é uma grande aliada do pecuarista na gestão da fazenda e na nutrição e alimentação dos animais. 
Conheça o iRancho e tenha todos os dados importantes da produção registrados de forma simples, fácil e confiável para uma pecuária eficiente, moderna e lucrativa.

Fabíola Lino SOBRE O AUTOR
Fabíola Lino

Doutora em Zootecnia, professora universitária e Diretora Estadual da Associação Brasileira de Zootecnistas.

Preencha o formulário e garanta seu teste grátis

Av. Olinda, 960. Ed. Lozandes Trade Tower II, sala 507-B. Park Lozandes. Goiânia, GO.

(62) 3414-7361
(62) 98139-3868
© iRancho - Sistema de Gestão Pecuária de Corte. CNPJ: 265.428.466/0001-02