Menu

Gado de Corte: veja 4 fatores para o sucesso da estação de monta

Por Fabíola Lino em 11 de fevereiro de 2021

A estação de monta vai chegando na reta final. Nada de relaxar. Atenção dobrada com a nutrição, com os índices reprodutivos e com os sinais que a sua fazenda está dando. Coletar os dados e analisar o que deu certo ou errado nesta estação de monta são essenciais para a gestão do seu rebanho. 

Para ajudar você nesta fase, a iRancho elaborou um check-list com quatro pontos importantes na estação de monta.

1 – Período da estação de monta

A época do ano para realizar a estação de monta pode variar de acordo com a região. Em primeiro lugar, veja se o período escolhido corresponde a maior oferta de forragem para atender as exigências nutricionais das matrizes e o melhor período para o nascimento dos bezerros. 

Em segundo lugar, estabeleça um tempo para a estação de monta. Pode ser de 60 a 90 dias e, no máximo, de 120 dias. Para reduzir o intervalo entre partos e produzir um bezerro por vaca e por ano, o período de serviço, que consiste no tempo entre o parto e uma nova concepção, precisa ser curto. 

2 – Nutrição na estação de monta

Já ouviu a frase “o cio entra pela boca”? A boa reprodução está ligada a uma boa nutrição. Então, comece avaliando como foi a nutrição pré-parto.

A baixa nutrição retarda o cio, aumenta o intervalo entre os partos e compromete o desempenho reprodutivo. Além disso, é importante fornecer suplementação que atenda às necessidades dos animais, visando suprir os nutrientes que faltam em virtude do capim disponível. Dessa forma, você manterá uma boa condição corporal das matrizes e ainda haverá pasto de melhor qualidade na seca.

3 – Sanidade na estação de monta

A saúde do rebanho, tanto da fêmea como do touro, é condição para o sucesso da reprodução. Uma atenção que começa lá na aquisição dos reprodutores.

Além da qualidade genética, na hora de escolher os touros fique atento com alguns aspectos físicos. Por exemplo: defeitos no casco, articulações e aprumos, fatores que podem atrapalhar a monta. Também avalie o tamanho do prepúcio: recomenda-se que este seja curto para evitar lesões.

Da mesma forma, verifique a presença de doenças de origem bacteriana ou parasitária. Isso pode afetar o sistema reprodutivo tanto dos machos como das fêmeas, impedindo a fecundação ou causando abortos. 

4 – Monta natural ou biotecnologia?

Se você escolheu a monta natural, saiba que você não está sozinho. Grande parte das fazendas usa a monta natural como estratégia de acasalamento. No entanto, não é a mais simples e pode ser ineficiente quando mal planejada.

A escolha do reprodutor e o ambiente adequado são importantes para aumentar o número de vacas cobertas. Por exemplo: os touros devem chegar na fazenda antes do início da estação de monta, tempo  para reduzir o estresse e se adaptar ao novo local. Além disso, aspectos como nutrição, sanidade ou estresse térmico também ajudam a manter uma produção satisfatória de espermatozoides e bons resultados na hora da monta. 

Mas se você escolheu a biotecnologia como forma de reprodução, saiba que pode solucionar alguns dos desafios da monta natural. A vantagem é que essas técnicas contribuem para melhoria na eficiência reprodutiva do rebanho e propaga genética de qualidade. A desvantagem pode aparecer quando não há equipe capacitada para realizar esse tipo de manejo.

Contudo, avalie as vantagens e desvantagens de cada técnica de reprodução. Acima de tudo, os custos e os objetivos de produção. Veja alguns detalhes sobre cada técnica reprodutiva:

Inseminação Artificial

A inseminação artificial consiste na deposição do sêmen no aparelho reprodutivo da vaca sem ter o touro na fazenda. Uma técnica que permite usar sêmen de touros provados com genética superior ou cruzar animais de raças diferentes.  

O grande desafio desta técnica é a detecção do cio. Contudo, os estudos sobre a fisiologia das fêmeas levaram à Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), com protocolos hormonais de indução da ovulação e sincronização de cio. Com isso, a inseminação é realizada no momento correto, sem a observação de cio e podendo inseminar mais animais por dia. Não esqueça que as fêmeas com má condição corporal terão dificuldade em emprenhar, mesmo com a IATF. 

Transferência de embriões em bovinos

Outra opção é a  transferência de embriões (TE). Uma tecnologia na qual se recolhe embriões de uma doadora ou provenientes da fertilização in vitro (FIV) e transfere para as fêmeas (receptoras), que completarão a gestação. Dessa forma,  uma vaca de alto valor genético pode produzir vários bezerros ao ano, com o nascimento de animais superiores em curto espaço de tempo. 

Dica final

Em resumo, a estação de monta é uma época importante do ciclo pecuário. Período que vai definir uma boa safra de bezerros e acima de tudo gerar bons indicativos para a tomada de decisão. Registrar as informações individuais do rebanho em um sistema de gestão organizado, pode ajudá-lo a planejar as próximas estações, reduzir custos e acertar em cheio nos lucros.

Veja Também:

Gado de Corte: saiba a importância de fazer a estação de monta

Vacas Prenhas: cuidados para uma boa safra de bezerros

Fabíola Lino SOBRE O AUTOR
Fabíola Lino

Doutora em Zootecnia, professora universitária e Diretora Estadual da Associação Brasileira de Zootecnistas.

Preencha o formulário e garanta seu teste grátis

Av. Olinda, 960. Ed. Lozandes Trade Tower II, sala 507-B. Park Lozandes. Goiânia, GO.

(62) 3414-7361
(62) 98139-3868
© iRancho - Sistema de Gestão Pecuária de Corte. CNPJ: 26.542.466/0001-02