Boas práticas na desmama de bezerros

A desmama é o processo de separação da mãe e cria. Ela ocorre tradicionalmente quando os bezerros estão com 6 a 8 meses de vida. Quando feita de forma abrupta, a separação causa alterações comportamentais que resultam em estresse nos animais. Os bezerros aumentam a vocalização procurando as mães e reduzem o consumo de forragem. Consequentemente, perdem peso e ficam mais susceptíveis a doenças. 

Portanto, para reduzir o impacto negativo no desempenho e bem-estar dos bezerros, é fundamental aplicar boas práticas na desmama, tais como: 

  • Realizar a apartação utilizando piquetes próximos, nos quais os bezerros e as vacas estarão separados apenas por uma cerca, mantendo o contato visual e auditivo;
  • Oferecer água de qualidade e em quantidade adequada; 
  • Ter pastos de qualidade; 
  • Evitar a aplicação de vacinas, castração ou manejos traumáticos logo após a desmama; 
  • Uso de suplementação para melhorar a eficiência de utilização da forragem e o desempenho animal;
  • Evitar o transporte dos bezerros nos primeiros dias após a desmama. Porém, caso seja necessário, faça as viagens de forma menos estressante possível. 

Ao final da desmama é fundamental que o pecuarista avalie alguns índices zootécnicos que indicam o resultado da fase de cria. 

Taxa de desmame

A taxa de desmame (%) é um índice que representa o total de bezerros desmamados em relação às vacas expostas em reprodução. Logo, em uma fazenda que foram desmamados 80 bezerros e 100 vacas foram expostas a reprodução, a taxa de desmame será de 80%. A fertilidade dos reprodutores, a natalidade e a mortalidade de bezerros afetam diretamente a taxa de desmame. 

Além de desmamar muitos bezerros é preciso atentar-se para a qualidade destes. Para isso, recomenda-se pesar os bezerros na desmama para avaliar o resultado nutricional e genético do rebanho. E assim, desmamar um bezerro de qualidade/vaca/ano. 

A habilidade materna tem grande impacto no peso ao desmame. Por isso, busca-se vacas que conseguem desmamar um bezerro com pelo menos 50% do seu peso corporal. 

Neste sentido, o Inttegra (Instituto de Métricas Agropecuárias) criou o índice quilos de bezerro desmamados por vaca exposta a reprodução, que auxilia o pecuarista a visualizar o resultado da fase de cria. Fazendas boas superam os 150 kg de bezerro por vaca. 

Dessa forma, considerando uma fazenda que tenha 100 matrizes expostas a reprodução e que desmamou 80 bezerros com peso médio de 170 kg, obteve-se uma produção de 136 kg de bezerro/vaca. Se ao final da cria os bezerros fossem desmamados mais pesados, com cerca de 220 kg, a produção seria de 176 kg de bezerro/vaca.  Ou seja, melhor resultado produtivo e maior receita na venda dos bezerros. 

O uso do creep feeding  na fase de cria é uma estratégia para obter maior peso dos bezerros a desmama. 

Enfim, a desmama é a transição da fase de cria para a recria. Por isso, e demanda atenção com o bem-estar dos animais, para evitar prejuízos produtivos e econômicos. 

Bezerros pesados ao desmame e com bom ganho de peso pós-desmama, têm potencial para atingir peso de abate mais rápido, e as fêmeas atingirem a puberdade precocemente, antecipando a idade a primeira cobertura. 

Na plataforma do iRancho o pecuarista registra e acompanha os pesos dos bezerros ao nascimento e na desmama, os dados da reprodução, nutrição e os manejos realizados na fazenda. Tais informações são fundamentais para avaliar o resultado da cria, ter uma boa gestão da fazenda e conseguir maior lucratividade. 


Por: Fabíola Lino. Doutora em Zootecnia, professora universitária e Diretora Estadual da Associação Brasileira de Zootecnistas.

Referência Livro:  Como ganhar dinheiro na pecuária – Os segredos da gestão descomplicada. Autor: Antonio Chaker El-Memari Neto. Inttegra. 343 p. 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *