Índices zootécnicos na cria

 

Foto: iRancho

 

Os índices zootécnicos são dados qualitativos e quantitativos que expressam de forma clara qual o resultado do conjunto, genética, nutrição, sanidade e manejo, aplicado na propriedade. Precisam ser medidos em todas as fases de produção, especialmente na cria, que é o alicerce da pecuária de corte.

 

Conheça alguns índices zootécnicos estratégicos para a fase de cria:

 

Período de serviço e intervalo de partos

 

O período de serviço compreende o tempo entre o parto da vaca e uma nova concepção. Tem influência direta no intervalo de partos, que representa o somatório do tempo de gestação da vaca e o período de serviço.

 

Dessa forma, o intervalo de partos consiste no período entre o nascimento de dois bezerros consecutivos da mesma matriz. Como o objetivo é produzir um bezerro/vaca/ano, o intervalo de partos ideal é de 365 dias ou 12 meses.

 

Taxa de prenhez

 

Representa o número de vacas prenhas em relação ao total de fêmeas em reprodução.

 

 

A taxa de prenhez é afetada por vários fatores como: nutrição, escore de condição corporal, uso de estação de monta, relação touro:vaca, fertilidade do touro, inseminação e sanidade. É importante calcular a taxa de prenhez por categoria (primíparas e multíparas). Quanto maior a taxa de prenhez, melhor.

 

Taxa de desmame

 

Compreende o total de bezerros desmamados em relação às vacas expostas a reprodução. Está diretamente relacionada com os nascimentos e a mortalidade de bezerros.

 

 

A taxa de desmame é um índice muito importante para quem produz bezerros, pois influencia a rentabilidade da propriedade. Quanto mais bezerros desmamados, melhor para o pecuarista.

 

Desde a reprodução até o desmame tem-se um longo período (estação de monta + 9 meses de gestação + 6 a 8 meses de cria), o que demanda um ótimo controle e registro dos animais e manejos.

 

Por isso, é importante utilizar um software de gestão de fazendas como o iRancho para armazenar informações sobre as matrizes e os bezerros, e assim, calcular com confiança o total de desmames no ciclo produtivo. Com o iRancho o pecuarista registra os animais e todos os manejos realizados, as datas importantes de inseminações, partos, mortes, pesos, entre outros.

 

Relação desmama

 

Representa a porcentagem do peso do bezerro em relação ao peso da matriz. Preconiza-se que a vaca desmame um bezerro com 50% do seu peso corporal. Portanto, uma vaca 400 kg precisa desmamar um bezerro de 200 kg no momento da apartação.

 

 

É um índice importante para orientar na seleção de matrizes e no tamanho do rebanho. Animais maiores possuem maior exigência nutricional e demanda por alimentos, o que resulta em aumento nos custos de produção.

 

Peso ao desmame

 

Importante medida para avaliar a habilidade materna das vacas do rebanho, ou seja, a vaca boa é a que consegue cumprir a relação de desmama citada anteriormente: desmamar um bezerro com metade do seu peso corporal.

 

Fazendas que se preocupam com a genética do rebanho tem mais facilidade em alcançar pesos maiores dos bezerros ao desmame, desde que, mãe e cria, recebam uma nutrição adequada para expressar seu potencial genético.

 

Uma forma de aumentar o peso à desmama é com o uso do creep-feeding, que consiste na suplementação dos bezerros em um cocho privativo, no qual só o bezerro tem acesso. E com isso, agrega valor na comercialização dos bezerros.

 

O peso ao desmame está correlacionado positivamente com os pesos do animais nas fases subsequentes, portanto, interfere no resultado da recria e terminação. Bezerros desmamados pesados podem atingir o peso de abate mais cedo e assim, reduzir o custo e o tempo de permanência destes animais na propriedade.

 

Dessa forma, a rentabilidade da cria está diretamente ligada a quantidade de bezerros desmamados e o peso destes. Reflete a eficiência produtiva e reprodutiva do rebanho.

 

Vale ressaltar que a coleta de dados é fundamental para que o produtor conheça a situação produtiva e reprodutiva da propriedade, e possa calcular os índices zootécnicos.

 

Com o iRancho, a coleta e armazenamento das informações referentes aos animais, é feita de forma rápida, precisa e fácil.

 

Escrito por: Fabíola Lino. Doutora em Zootecnia, professora universitária e Diretora Estadual da Associação Brasileira de Zootecnistas.

 

2 comentários em “Índices zootécnicos na cria”

  1. Bom dia trabalho com cria de animais da Raça Tabapuã na cidade de Araputanga-MT, tenho um taxa de prenhes muito boa de porem a porcentagem do peso do bezerro em relação ao peso da matriz não é satisfatória, o que seria recomendado neste caso?
    Tenho toda a propriedade piqueteada, ótima forragem MG5, Sala Mineral 65%

Deixe uma resposta para ELCIO CESARIO DE Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *