A importância da identificação de matrizes

Foto: iRancho

 

O bezerro é a matéria-prima para a recria e terminação de bovinos de corte. Busca-se bezerros de qualidade e em quantidade satisfatória para atender a demanda para produção de carne. Em muitas fazendas, a meta é produzir um bezerro/vaca/ano.  

 

Mas você sabe qual vaca está reproduzindo? Ou qual vaca desmamou um bezerro bom e qual teve um bezerro ruim? Sem a identificação de cada matriz não é possível ter essas informações. 

 

A identificação animal é pré-requisito para a escrituração zootécnica em uma fazenda de gado de corte, facilitando o levantamento de informações reprodutivas e produtivas da fêmea bovina, tais como partos, coberturas, inseminação artificial, número de crias, intervalo de partos entre outras. 

 

Com o registro de cada matriz, o pecuarista pode coletar os dados de nascimentos e pode armazena-los em uma ferramenta de gestão. Dessa forma, é possível saber se cada vaca realmente emprenhou, teve partos, desmamou bezerros, bem como as datas e os resultados.

 

Um índice zootécnico bem relevante na cria é quantos kg de bezerro uma matriz desmama em relação ao seu próprio peso no momento da apartação. O ideal é que cada fêmea consiga desmamar um bezerro com pelo menos 50% do seu peso. Por isso, é preciso saber exatamente qual é o bezerro de cada vaca para realizar o cálculo corretamente. Daí a importância da identificação da mãe e cria. 

 

Portanto, com a identificação de cada matriz, é possível acompanhar os resultados produtivos com maior exatidão.

 

Para isso, a identificação animal deve ser única e definitiva. O ideal é combinar números e/ou letras, sem repetição, de modo que não tenha outro animal com a mesma identificação. 

 

Existem vários métodos para identificar as matrizes, como a marcação a fogo, tatuagem ou brincos. 

 

O uso de brincos é muito comum, pois são bem visíveis e fáceis de aplicar. Apesar da perda de brincos ser uma reclamação recorrente, o risco de perda diminui quando se utiliza brincos de melhor qualidade e a aplicação é feita corretamente (Figura 1).

 

 

 

Figura 1. Local correto e incorreto de aplicação do brinco para identificação animal.
Fonte: Allflex – Adaptado

 

 

 

Não esqueça que é preciso monitorar os animais para avaliar se há algum problema decorrente da aplicação dos brincos e assim corrigir o mais rápido possível. 

 

O manejo de identificação deve ser feito com cuidado, para não causar estresse nos animais. O procedimento é simples, porém, requer equipe treinada para realizar o trabalho de forma adequada, tranquila e com segurança. 

 

Enfim, a identificação de matrizes e demais animais da fazenda é ponto FUNDAMENTAL para uma boa gestão na pecuária de corte.

 

 

Escrito por: Fabíola Lino. Zootecnista, mestre em Ciência Animal, doutoranda em Zootecnia, professora universitária e Diretora Estadual da Associação Brasileira de Zootecnistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *