Valorização da arroba: como aproveitar e ter lucro.

 

 

O mercado da pecuária de corte está aquecido, alta demanda, baixa oferta e a arroba do boi gordo valorizada. Estamos na entressafra, período em que há menos animais prontos para o abate. Somado a isto, temos uma recuperação da demanda doméstica, o dólar em alta estimulando a exportação e ainda a intensa procura chinesa por proteína animal. Com isso, o preço pago na arroba do boi gordo subiu e está acima dos R$200,00 reais na maior parte do país. Alguns falam apenas em aumento (alteração) no preço, outros em um reajuste (revisão ou correção), que demorou, mas chegou. De uma forma ou outra o cenário é positivo para o pecuarista. 

 

O produtor que tem boi pronto para venda está aproveitando a alta da arroba, e aquele que já comprou a reposição está com estoque valorizado. Porém, quem não comprou a reposição terá que procurar bem, planejar, analisar e ser eficiente na compra. Quem tem boi nos pastos ou ainda vai confinar ficará na expectativa de como estarão os preços nos próximos meses. Dessa forma, este é o momento para avaliar a produção, os custos e garantir que o aumento do preço da arroba seja realmente convertido em lucro. 

 

De uma forma ou de outra o cenário é positivo para o pecuarista.

 

Os resultados financeiros costumam ser bons nas fases em que o valor pago ao produtor está em alta. Porém, ganhar dinheiro na fase de alta não significa que a fazenda seja eficiente. O segredo é ganhar ou não perder dinheiro até mesmo quando os preços estão baixos. Para isso, é preciso fazer a lição de casa. Ter uma boa relação entre volume de produção, indicadores técnicos e o custo da arroba produzida. Na produção, avaliar as métricas da fazenda, determinar as metas a serem atingidas para o ganho de peso total (GPT), ganho médio diário (GMD), rendimento de carcaça (RC), rendimento do ganho (RG) e ganho de carcaça (GC). Almejando entregar uma carcaça mais pesada para o frigorífico. 

 

Além disso, definir metas da produtividade (@/ha/ano) e ter volume satisfatório de carcaça para a venda. Porém, até a entrega do produto, as condições de mercado podem se modificar, e o ideal é que o custo da arroba produzida fique abaixo do preço da arroba vendida. Tenha cuidado com a ilusão do custo mínimo, gastar pouco com resultados ruins não é uma boa opção. O interessante é manter uma boa relação custo/benefício. 

 

Em resumo, garantir bons resultados técnicos e alinhados ao custo da arroba produzida, permite aproveitar ao máximo as altas nos preços da arroba e obter lucro. Vale lembrar que o risco de preço existe e o produtor precisa traçar estratégias para se proteger dele. Apesar das várias previsões de mercado, não é possível afirmar até quando o preço da arroba vai aumentar, estabilizar ou na pior das hipóteses retornar aos valores anteriores. O período é de mudanças e o futuro é incerto. 

 

Enquanto isso, tenha um planejamento, aproveite os preços atuais e faça bons negócios.

 

Escrito por: Fabíola Lino. Zootecnista, mestre em Ciência Animal, doutoranda em Zootecnia, professora universitária e Diretora Estadual da Associação Brasileira de Zootecnistas.

Últimos comentários em “Valorização da arroba: como aproveitar e ter lucro.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *