Exportações de carne bovina: o cenário é positivo

De acordo com uma pesquisa da Rabobank de junho de 2019, o cenário atual é positivo para as exportações de carne bovina. O volume exportado entre os meses de janeiro a maio aumentaram 16,6% em relação ao último ano.

Dentre os principais compradores estão a China, a Rússia, os Emirados Árabes e o Irã, que aumentaram suas importações de carne bovina brasileiras devido aos preços competitivos em função do câmbio.

Nos próximos meses, a China deve manter o ritmo acelerado das suas importações de proteína animal em razão do surto de Peste Suína africana que vem acometendo seu rebanho suíno.

O caso atípico da “Vaca Louca” fez com que os embarques brasileiros para a China fossem suspensos e impactou as operações de abate dos frigoríficos que atendem o mercado externo, o que contribuiu com a queda nas cotações do boi gordo anunciadas no mercado interno.

Com o início da estação seca em maio e o aumento da oferta de boi para os frigoríficos, o preço da arroba tem sido pressionado. A demanda, por outro lado, vem se recuperando lentamente.

Há, entretanto, a expectativa de retomada da economia para que novamente se possa consumir um volume maior de carnes e cortes melhores. O esperado é que, nos próximos meses, haja uma leve recuperação dos preços devido ao aumento das importações.

Caso haja uma retomada da economia brasileira até o final do ano, o setor pode aquecer ainda mais, tendo em vista que é a época em que o consumo de proteína animal é maior, principalmente no último trimestre.

Fique atento!

  • A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) afirmou, mais uma vez, que o Brasil possui um risco insignificante da doença da “Vaca Louca”, a encefalopatia espongiforme bovina.
  • Como o retorno das importações da Rússia, a categoria “miúdos” cresceu e registrou recorde no volume exportado.

 

Fonte: Rabobank AgroInfo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *