Gestão de fazenda: é só para grandes produtores?

 

A gestão da atividade pecuária não é uma exclusividade de grandes propriedades. E essa resposta não deveria ser surpresa para ninguém. Na verdade, meus amigos, a gestão de pequenas e médias propriedades rurais demandam um controle extremamente eficiente. Uma vez que o pequeno e médio produtor têm um volume reduzido de operações quando comparado ao grande produtor. Desta forma, eles precisam minimizar ao máximo o risco de suas atividades. Saber a hora de comprar e vender animais, ter na ponta da língua qual é o GPD (Ganho de Peso Diário) ou GMD (Ganho Médio Diário) da propriedade, e fazer planejamentos de cria, recria, engorda e descarte.

Como diz Rodrigo Albuquerque do Notícias do Front, fazendo analogia a um plano de voo: “uma aeronave só pode levantar voo se tiver um plano de voo, trajetória e local de pouso”. Voltando para a pecuária, podemos comprar um bezerro já planejando o boi lá na frente, ou “parindo” o dito cujo para vender a desmama em determinada época do ano. Como posso definir esse planejamento? Com informação! Informação é a base de tudo, não se toma decisão sem informação.

Pegando como exemplo a atividade de cria, você precisará saber quantas matrizes aptas possui para a estação, quantos touros de repasse, quantas doses de sêmen, quantos protocolos de IATF, dia de início (D0), data do toque, data da ressincronização, do repasse e projeção de data de parto. Enfim, uma série de informações que são básicas para o início do processo. Se é o seu segundo ano, você já sabe qual é o seu IEP (Intervalo Entre Partos)? Qual foi a data de desmama do último lote da estação passada? Qual foi o índice de sucesso da estação do ano passado? Quantos bezerros(as) você vendeu? Se teve dificuldades para responder algumas dessas perguntas, meu conselho é que você precisa de um banco de dados. Veja que com 2 minutos de leitura, já demandamos uma grande quantidade de informações, e um rebanho de qualquer tamanho gera informação suficiente para auxiliar na tomada de decisão.

Ouvimos muito por aí “aqui no meu caderno tenho tudo” ou “na minha planilha de excel tenho informação de 5 anos”. Se você se encaixou nessas duas frases, você já tem o começo, agora é só alimentar um sistema. O problema das planilhas não está na inserção dos dados, mas sim na informação que conseguimos gerar a partir desses dados. Com base em uma planilha excel, você consegue me dizer se houve crescimento ou não na sua atividade no último ano? Qual foi o sêmen, utilizado na IATF, que gerou o bezerro mais pesado na desmama? Qual foi o lote com a melhor taxa de sucesso? Qual têm sido a principal causa de mortalidade na sua fazenda? Difícil extrair essas informações de uma planilha excel, não é mesmo? Mas e se eu te disser que você consegue gerar relatórios com todas essas informações usando uma ferramenta de gestão. Ficou fácil, não é? Basta emitir um relatório, filtrar as informações que você deseja, e pronto, todos os dados que você precisa para fazer a sua análise estarão ali na sua frente.

Essas informações podem impactar em vários aspectos a sua tomada de decisão. Você pode comprar mais sêmen do touro que deu origem aos bezerros mais pesados na desmama, pode renegociar aquele protocolo de IATF que deu melhores resultados. Você consegue identificar, de maneira muito clara, oportunidades de melhoria na gestão de sua propriedade. O reconhecimento do problema é o primeiro passo para a solução.

Por Pedro Henrique Maia e Mariana Machado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *